Técnica do anel ósseo

  • Bone ring technique
    Pilot drill
  • Bone ring technique
    Ring bed preparation with a trephine
  • Bone ring technique
    Ring bed preparation with a planator
  • Bone ring technique
    Ring length adjustment with a diamond disc
  • Bone ring technique
    Implant drill through the inserted bone ring
  • Bone ring technique
    Implant insertion through the bone ring
  • Bone ring technique
    Sharp edge smoothening
  • Bone ring technique
    Covering with cerabone®
  • Bone ring technique
    Covering with pinned Jason® membrane
  • Bone ring technique
    Tension-free wound closure
A técnica do anel ósseo é uma metodologia cirúrgica que permite efetuar o aumento ósseo e a implantação em uma única etapa. Comparada com a abordagem mais convencional de duas etapas, a principal vantagem da técnica do anel ósseo é a de reduzir significativamente o tempo de tratamento, em vários meses. A técnica do anel ósseo permite efetuar o aumento vertical/horizontal e a formação de novo osso, simplificando assim o tratamento cirúrgico de defeitos ósseos tridimensionais. Essa técnica pode ser aplicada em praticamente todas as indicações, inclusive na elevação do seio maxilar em casos com altura limitada do osso maxilar. De acordo com a abordagem original, o aumento é efetuado com anéis de osso autólogo, que são coletados intraoralmente (na maior parte, da área do mento ou do palato) com uma trefina. O anel ósseo é em seguida transferido para o local receptor já preparado com a broca trefina. O leito do implante é, assim, preparado no osso local por meio da abertura do anel, e o implante é inserido passando pelo anel. A integração do anel ósseo e do implante ocorre através do osso circundante.

Fechamento do retalho

Observe atentamente a condição do tecido mole antes da intervenção cirúrgica! Lembre que o fechamento do retalho sem tensão é essencial para o sucesso do procedimento.

Reidratação

O maxgraft® bonebuilder não precisa ser reidratado. A preparação do leito do anel utilizando o kit cirúrgico maxgraft® bonering garante o contato direto do anel ósseo com o osso vital em sangramento, permitindo a rápida integração dos dois elementos: o implante e o enxerto ósseo.

Reentrada

Depois que o maxgraft® bonering é fixado com um implante adequado, oferece uma excelente estabilidade primária. A carga do implante deve ser efetuada 6 meses após o transplante, para evitar a reabsorção do enxerto ósseo causada pela falta de estímulo mecânico.

Combinação com cerabone®

A combinação de maxgraft ® bonering com um material xenogênico (cerabone®) associa as vantagens dos dois materiais; o potencial biológico do maxgraft® bonering induz à rápida incorporação do enxerto e do implante, e o cerabone®, que favorece a estabilização do volume, atua como uma proteção contra a reabsorção e melhora o resultado estético.

Exposição do enxerto

A deiscência da ferida e a exposição do enxerto podem ser complicações comuns dos aumentos. Após a remoção do tecido mole necrótico e do tecido duro infeccionado (utilize instrumentos giratórios, se necessário), a área do aumento deve ser enxaguada com clorexidina. Em seguida, o enxerto deve ser novamente coberto, se necessário, pela coleta de um transplante de tecido mole palatino.

Augmentation durch Einsetzen eines maxgraft® bonering

A botiss oferece anéis de osso alogênico pré-fabricados, cuja utilização minimiza os riscos associados ao procedimento de coleta e reduz a dor pós-operatória, bem como o risco de infecção e o tempo de cirurgia. O maxgraft® bonering é um produto de aloenxerto estéril, altamente seguro, derivado de cabeças femorais de doadores humanos vivos. Os anéis pré-fabricados podem ser instalados e pressionados no leito necessário.

Além disso, a botiss oferece um kit cirúrgico contendo todos os instrumentos necessários para a técnica do anel ósseo. A primeira etapa do procedimento cirúrgico é a determinação da posição do implante utilizando a broca piloto; o leito do anel é em seguida preparado com uma trefina. A seguir, utiliza-se um aplainador para alisar o osso local, de forma a obter o contato ideal com o maxgraft® bonering, além de remover a camada cortical, o que melhora a revascularização do enxerto. Com o maxgraft® bonering, pode-se facilmente obter um aumento ósseo vertical de 2–3 mm acima do nível ósseo. Para o aumento de uma mandíbula com atrofia severa, o rebordo deve ter uma espessura mínima (no caso de um rebordo com paredes paralelas) de 4 mm, para a aplicação do maxgraft® bonering com sucesso. Essa técnica também pode ser aplicada na elevação do seio maxilar em uma única etapa, em casos com altura mínima do osso maxilar. Nesse caso, o implante é fixado no seio com o anel de osso alogênico; os elementos são unidos com um parafuso na membrana.

Recomendamos que o volume residual do defeito seja preenchido com um material de regeneração óssea de reabsorção lenta (ou seja, cerabone®) e que o local do aumento seja coberto por uma membrana de colágeno. A Jason® membrane do pericárdio é uma solução ideal nesses casos, graças a sua função protetora a longo prazo. A sutura sem tensão do local da cirurgia minimiza o risco de perfuração do tecido e/ou exposição do enxerto.

Please Contact us for Literature.